O que é o Caminho de Santiago de Compostela?

0

Você sabe o que é o Caminho de Santiago de Compostela? Muita gente já ouviu falar dele, porém talvez poucos saibam exatamente como surgiu ou o que é este caminho de peregrinação. Sempre regada por muitas histórias e lendas, esta  é uma das mais antigas rotas de peregrinação da Europa.

Alguns ouvem que o Caminho de Santiago é lindo, tem belas paisagens, que é muito legal, até mesmo divertido. Acabam se empolgando com a ideia de ir um dia para a Espanha para conhecê-lo, porém não entendem o significado espiritual e religioso desta longa caminhada. Aliás, muitos não entendem sequer o que é uma peregrinação.

Como o Caminho das Estrelas, como também é chamado, é também usado como pano de fundo em alguns livros e filmes de ficção, isto também pode confundir as pessoas quanto à sua origem e significados.

Por estas razões, quem pretende um dia percorrer a Rota Jacóbea deve saber do que se trata, principalmente para aproveitá-lo ao máximo.

História do Caminho de Santiago de Compostela

São Tiago (Santiago) na Espanha

Tiago Maior foi um dos 12 apóstolos de Cristo. Também conhecido como filho de Zebedeu, foi pregar na Espanha após a morte do Messias.

Chegou na região da Galícia no ano de 34 d.C., vindo da Terra Santa. A lenda diz que ele celebrou a primeira missa em Iria Flavia (município de Padrón), que fica a cerca de 20km de Santiago de Compostela.

Publicidade

Depois de um período na na Península Ibérica retornou à Jerusalém. Devido à perseguição promovida por Herodes, foi decapitado em Jafa por volta do ano 42 d.C.

O seu corpo e a sua cabeça foram levados pelos seus discípulos Atanásio e Teodoro, que transportaram seus restos mortais em uma barca de pedra, que aportou em Iria Flavia. Eles levaram Santiago deste local e o enterraram em um cemitério no monte Libredón. Este cemitério situava-se onde fica hoje a Catedral De Santiago de Compostela.

A descoberta do Túmulo do Apóstolo

Em meados de 813 d.C., um eremita chamado Pelayo (ou Pelágio) viu algo diferente no céu e resolveu comunicar imediatamente o fato ao Bispo Teodomiro, de Iria Flavia.

Ele contou que viu uma chuva de estrelas sobre uma urna de mármore. O Bispo decidiu então investigar o acontecimento com mais cuidado. Depois de alguns estudos, esta urna foi identificada como o túmulo de Santiago.

A partir deste momento a notícia começou a espalhar-se e iniciou-se a peregrinação ao local do sepulcro. Este local ficou conhecido como Campus Stellae (“Campo de Estrelas“), de onde originou-se o nome Compostela. E foi daí também que veio o nome Caminho das Estrelas.

Uma curiosidade: esta descoberta coincidiu com a chegada dos moçárabes (cristãos que falavam árabe) à região. Vindos de lugares dominados pelos muçulmanos, eles procuravam um lugar onde pudessem praticar sua religião cristã.

Santiago, o Padroeiro da Espanha

Em 844 houve, supostamente, uma aparição milagrosa de Santiago montado em um corcel branco, na Batalha de Clavijo. Nesta batalha Ramiro I das Astúrias, com a ajuda de Santiago, teria vencido um grande exército muçulmano após ter se recusado a pagar tributos que eram devidos apenas pelos cristãos.

Importante saber que os moçárabes também eram obrigados a pagar impostos, que não eram aplicados apenas aos muçulmanos.

Imagem de Santiago na Catedral de Santiago
Imagem de Santiago Matamoros, na Catedral de Santiago de Compostela.

A partir deste momento, Santiago Matamoros (Mata-mouros) foi considerado padroeiro da Reconquista (movimento ibérico cristão que teve início no século VIII, visando a recuperação das terras perdidas durante a invasão da península Ibérica pelos muçulmanos).

Publicidade

Atualmente Santiago é o padroeiro da Espanha.

O Caminho de Compostela

Carlos Magno, vendo a peregrinação como mais uma forma de defender suas fronteiras das invasões árabes, incentivou a promoção da peregrinação à Santiago de Compostela.

Os peregrinos vinham de todos os cantos da Europa Cristã. Usavam principalmente as rotas comerciais mais conhecidas para chegar à Santiago de Compostela. A mais usada tornou-se o mais tradicional Caminho de Santiago, o Caminho Francês.

Esta rota tem início em Saint-Jean-Pied-de-Port, na França, aos pés dos Pirineus, quase na divisa com a Espanha (saiba mais sobre o seu início clicando aqui).

Ela passa por importantes cidades espanholas, como Pamplona, Logroño, Burgos, Léon e Ponferrada, chegando finalmente em Santiago de Compostela.

Os Hospitais de Peregrinos

Monarcas de várias regiões também ajudaram a consolidar estas rotas construindo pontes e hospitais de peregrinos (hospital vem de de hospes – hóspedes).

Estes hospitais eram lugares que recebiam e hospedavam os peregrinos, dando-lhes assistência para continuar a viagem.

Uma das pontes construídas para os peregrinos, com seis arcos, foi Doña Mayor, esposa do Rei Sancho III, que mandou construir sobre o Rio Arga. Ela foi especialmente feita para facilitar a travessia dos peregrinos. Tamanha sua importância que acabou por dar o nome da cidade de Puente de la Reina (Ponte da Rainha).

Os Caminhos de Santiago de Compostela

Caminho de Santiago de Compostela, os diversos trajetos na Espanha
Caminhos de Santiago de Compostela na Espanha

Apesar de falarmos no singular, ele não é um só caminho. Existem várias rotas, vindas de diversos pontos da Europa.

Publicidade

Como se fossem rios de peregrinos, muitos deles “deságuam” em outros mais “importantes”. É o caso, por exemplo, do Caminho Aragonês, que se une ao Caminho Francês nas proximidades de Puente de la Reina, na Espanha.

Mas, por ser o mais tradicional, quando fala-se em Caminho de Santiago vem logo à cabeça o Caminho Francês. Esta talvez seja a razão de usarmos o singular quando nos referimos a ele.

Os Mais Conhecidos

Dos caminhos que levam à Santiago de Compostela, os mais conhecidos são:

  • Caminho Francês – Inicia* em Saint-Jean-Pied-de-Port, na França, tem oficialmente 775 km de extensão (extra-oficialmente mais de 815km)
  • Caminho do Norte – 855 km a partir de Irún, Espanha (divisa com a França), segue pelo litoral norte da Espanha e junta-se ao Caminho Francês em Arzúa, a cerca de 40 km de Santiago de Compostela.
  • Via de la Plata – Com 966 km, inicia-se em Sevilla e junta-se ao caminho Francês em Astorga.
  • Caminho Primitivo – Total de 321 km, saindo de Oviedo e também unindo-se ao Caminho Francês, em Melide (aproximadamente a 53 km de Santiago de Compostela)
  • Caminho Português – Há dois mais conhecidos, sendo o Central, que parte de Lisboa, o segundo mais percorrido dos Caminhos de Santiago, com 617 km no total.
    O outro é o caminho Português do Interior, saindo de Farminhão, com 420 km.
  • Caminho Inglês – Com duas possibilidades de traçado: desde Ferrol, com 122 km, ou saindo de A Coruña, com apenas 75 km.

* Os guias consideram Roncesvalles ou Saint-Jean-Pied-de-Port como início do Caminho Francês, apesar disso ele vem de bem mais longe. Saiba mais sobre este assunto no nosso artigo sobre o início do Caminho Francês.

Guias do Caminho de Santiago

Há diversos guias e sites com informações de todas as etapas do Caminho de Santiago, como o Guia Consumer, por exemplo.

Quem pretende um dia percorrer algum destes trajetos pode informar-se facilmente usando-os. Nestes guias tem a distância entre as cidades, perfil de altitude do trajeto, lista de albergues, divisão por etapas e várias outras informações relevantes para o peregrino.

Publicidade

Aqui no blog você também encontra as etapas do Caminho Francês, com descrição, mapa e altimetria. Porém ainda não temos dados sobre os albergues. Ainda!

É muito importante você entender que as etapas indicadas pelos guias são apenas sugestões. Geralmente indicam como ponto de parada os lugares com mais estrutura, como albergues, mercado, hospital, centro de saúde e farmácia.

Estes guias também levam em conta a quilometragem e a dificuldade de cada trecho. A etapas variam de guia para guia, alguns distribuindo-as de acordo com o tempo que você tem disponível (em dias).

Mas fique atento, pois há diversos lugares interessantes pra ficar e muitos não estão marcados nos guias como sendo um fim de etapa. Então você pode usar os guias para decidir onde dormir de acordo com suas necessidades, desconsiderando as etapas indicadas.

Resumindo, você pode planejar os trechos do seu Caminho de Santiago como bem entender. Saiba que algumas vezes é interessante “fugir” um pouco do guia e ficar em lugares menores, fazendo suas próprias etapas.

Também faz parte da experiência do Caminho de Santiago você mudar seu roteiro à medida que progride em sua peregrinação. Se estiver muito cansado (ou qualquer outro motivo), pode parar antes. Se sentir que está disposto a andar alguns quilômetros a mais, também pode decidir diferente do que havia pensado anteriormente.

Uma das vantagens de ser peregrino e carregar a sua mochila é esta, não fica preso a nada, podendo decidir na hora onde vai dormir!

Associações de Amigos do Caminho de Santiago

Outra ótima fonte de pesquisa são as Associações. Existem diversas associações de apoio aos peregrinos do Caminho, como a Associação Brasileira dos Amigos do Caminho de Santiago. Elas podem ajudar na sua pesquisa um pouco mais a fundo.

Considerações Finais

Atualmente o Caminho de Santiago de Compostela, principalmente o Caminho Francês, é percorrido não somente por questões espirituais/religiosas, mas também por esporte, turismo ou mesmo com fins culturais.

Publicidade

Seja qual for o motivo, o Caminho ensina muitas lições e sempre provoca alguma mudança nas pessoas que caminham sobre ele. Algumas destas lições só compreenderemos muito tempo depois de voltar da peregrinação, outras mais cedo.

Se você pretende peregrinar até Santiago de Compostela, se sente que o Caminho de Santiago está “chamando”, não desista nunca deste sonho. Pode demorar um pouquinho, mas um dia você vai realiza-lo!

Enquanto isso, pesquise bastante e conte com nossa ajuda para tirar suas dúvidas!

Buen Camino!

Fontes:

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade

Leave A Reply

Your email address will not be published.

dez − dois =