Albergues, o que você precisa saber sobre eles9 min read

Muita gente busca informações sobre o Caminho de Santiago precisando das primeiras coordenadas. Coisas como onde dormir, onde comer, o que comer, por exemplo. Porém, algumas vezes pulamos esta etapa e vamos direto para as informações mais “avançadas”. Este artigo é justamente sobre uma destas coisas: os albergues. Já me perguntaram como funcionam os albergues (ou pousadas, como alguns chamam) algumas vezes. Para ser sincero, me perguntam com frequência. Acredito que esta seja uma das maiores preocupações de quem nunca fez uma viagem assim antes. Lembrando que o Caminho de Santiago tem como objetivo principal a peregrinação,  será o que vou considerar neste artigo. Isto não quer dizer que você não possa aproveitar as informações caso esteja indo por lazer, porém não vou dar ênfase a hotéis ou algo do gênero.

Espero que você goste, tire proveito e, se puder, ajude a complementar o artigo com algo que eu tenha esquecido de mencionar. E não deixe de comentar e compartilhar!

Albergue, lugar para peregrinos

O que quero dizer não é que peregrino só deva ficar em albergues. É o contrário: os albergues que são só para peregrinos. Pelo menos a maioria, no Caminho de Santiago. Isto é importante dizer para tranquilizar um pouco quem tem medo deste tipo de acomodação. Todos que ficam nos albergues do Caminho de Santiago devem ter a credencial de peregrino, sendo assim, (praticamente) todos que estão ali tem o mesmo objetivo. Compreendem com mais facilidade o porquê das regras de cada albergue e tendem a acatá-las. Em geral há muito respeito entre os peregrinos, o que torna o ambiente muito positivo.

Camas, ao invés de beliches, no quarto do albergue Espíritu Santo, de Carrión de los Condes.

Albergue Espíritu Santo em Carrión de los Condes. Camas ao invés de beliches.

Quanto ao peregrino só ficar em albergues, depende de cada um. Eu recomendo que você fique sempre que possível, pois assim poderá interagir com os outros peregrinos. É nos albergues que acabamos fazendo muitas das amizades do Caminho. Sem falar do apoio que os hospitaleiros normalmente dão aos peregrinos. Ficar nos albergues também nos ajuda a ter um ritmo de peregrino, isto é, acordar e sair bem cedo para caminhar. Em um hotel ou algo do gênero você tem a liberdade de ficar dormindo até mais tarde. Isto dificulta a sua caminhada, pois o sol estará mais forte quando você estiver caminhando. Também encontrará menos peregrinos no trajeto. Nem vou comentar sobre preço, afinal, o nome albergue já indica que é (bem) mais barato  que outros tipos de hospedagem.

Uma observação: nem todo lugar tem albergue paroquial ou municipal, tipo de albergue que normalmente é mais em conta. Mas você encontrará albergues privados com preços equivalentes. Algumas vezes o valor é igual ou pouco superior aos outros.

Reservas nos albergues

Em geral, só os albergues privados aceitam reservas. E, dependendo da época do ano (alta temporada) e da hora que costuma chegar ao destino, realmente serão necessárias. Deixando este detalhe da alta temporada de lado, os albergues são por ordem de chegada. Alguns ainda mantém a tradição de dar prioridade aos peregrinos que chegam a pé. Quem chega de ônibus ou bicicleta tem que esperar até um determinado horário para ter certeza que não vem mais ninguém caminhando. Justo, pois quem vem a pé está mais cansado.

Peregrino dormindo no banco da praça. Por opção, tinha vaga nos albergues!

Peregrino dormindo no banco da praça. Por opção! Tinham muitas vagas nos albergues.

Eu sempre fiz o Caminho em meados de abril. Já encontrei situações parecidas com a alta temporada devido a feriados locais, quando principalmente os espanhóis aproveitam para fazer um trecho da Rota Jacobea. Realmente estava difícil até mesmo de reservar. Todo dia era uma corrida pelos albergues, o povo acordando cada vez mais cedo. O problema é que muitos deixavam de desfrutar o Caminho por isso.

Tirando estes picos de utilização dos albergues, no geral é bem tranquilo, pois o número de albergues tem aumentado. E fique tranquilo, não vai ter que dormir na rua. Um lugar você encontra! 🙂

Compartilhando o quarto

Albergue de Peregrinos de Roncesvalles, com muitos beliches. Atualmente este albergue só abre quando o outro, novo, está lotado.

Albergue de Peregrinos de Roncesvalles. Atualmente este albergue só abre quando o outro, novo, está lotado.

Sim, você vai dormir junto com vários estranhos. Não se preocupe, o objetivo de todos ali é o mesmo! Você vai fazer muitas amizades e vai ver as vantagens de ficar no albergue. Uma delas é que pela manhã todo mundo começa a se preparar para sair. Então você não consegue ficar de preguicinha na cama, acaba acordando e saindo junto. Isso é muito bom, pois não corre o risco de caminhar com o sol muito forte, como já falei.

Se está preocupado por não estar acostumado a dormir com mais gente no quarto, saiba que no segundo ou terceiro dia já estará acostumado. Pense nos outros como colegas, como amigos.

Anúncio
Anúncio

Roupa de cama, cobertores e saco de dormir

Nos albergues, as camas não tem lençol nem os travesseiros tem fronha. Por este motivo você precisa ter um saco de dormir. Além disso, o saco de dormir serve para marcar a tua cama. Quando chegamos no albergue uma das primeiras providências é colocar o saco de dormir esticado na nossa cama. Assim todos sabem que aquele espaço já é de alguém.

O saco de dormir serve também para manter-nos aquecidos, pois nem todos os albergues disponibilizam mantas para os peregrinos. Portanto não esqueça, precisa levar um saco de dormir! Não há outra opção. 🙂

Ronco. Ah, o ronco…

Outra pergunta muito frequente: ronco. Sim, muita gente ronca. Mas você estará cansado (e talvez tenha bebido vinho no jantar), vai dormir bem. Concordo que algumas vezes é incômodo, mas com o tempo você acostuma, ou pelo menos não liga mais. Se concentre em outra coisa e use tampões para os ouvidos. Um detalhe engraçado que observei: muitas vezes os que reclamam do ronco dos outros são os que mais roncam! Muita gente não sabe que ronca, ou não roncava e acaba roncando devido ao cansaço. Acredite, ronco acaba virando assunto para a conversa do dia seguinte com os outros peregrinos. Normalmente é encarado com humor! 🙂

Incovenientes

Sim, existem! Mas não deixe que isto estrague sua experiência. Aliás, transforme isto em história de humor para contar depois, que tudo fica mais leve. Por exemplo, eu já fiquei (calculando bem por baixo) mais de 130 vezes em albergues do Caminho de Santiago. Somente 1 vez me senti incomodado com o chulé de outro peregrino, apesar de todos deixarem a bota do lado de fora e tomarem banho ao chegar. Descobri que era da sandália dele. O que eu fiz? Discretamente a empurrei para baixo da cama dele, depois virei minha cabeça para o outro lado da cama. Resolvido.

Há também os que acordam as 5hs da manhã fazendo barulho. Nada que um shhh não resolva. Claro, o “shhh” às 5 da manhã, não às 7, quando todo mundo já deveria estar de pé faz tempo!

Número de pessoas no quarto

Quarto com 4 beliches no albergue Zaldiko, em Zubiri.

Albergue Zaldiko, logo após a ponte de Zubiri. Quarto pequeno, para 8 pessoas.

O número de pessoas no quarto varia de albergue para albergue, e de quarto para quarto. Tem albergues onde centenas de peregrinos dormem no mesmo espaço, há outros que possuem apenas 2 ou 3 beliches em cada quarto. Claro que um quarto com pouca gente a principio é melhor, mas nem sempre é assim. Já fiquei em um albergue com 2 beliches apenas, porém na outra beliche estava um casal de roncadores. Além disso, o quarto não tinha janela, o que fazia com que o calor fosse insuportável.

Alguns reclamam de albergues como o de Roncesvalles (o “antigo”), por ser um grande espaço com muitas beliches. Mas isto é ser peregrino. E sinceramente, devo lembrar uma frase que deve sempre estar na nossa cabeça: “o peregrino não reclama, agradece”. Precisamos de um lugar para dormir. Quem procura conforto tem que buscar um hotel. E, caso esta escolha não seja por motivo de enfermidade, é bom repensar o motivo da sua viagem…

Pouco banheiro para muita gente

A primeira impressão que temos quando pesquisamos sobre os albergues é que os banheiros são poucos para muita gente. Ficamos pensando que vai ter filas imensas para o banho na chegada ou na saída. Não é bem assim. Como cada um tem seu ritmo, não costumam chegar vários peregrinos na mesma hora. Todo mundo colabora e toma banho rápido. Todo mundo ajuda a manter tudo limpo, como se fosse nossa casa. Assim ninguém espera muito para o banho (quando espera), nem encontrará um espaço sujo.

Café da manhã no albergue

O albergue tem como principal objetivo dar um lugar para você tomar banho e dormir. Porém alguns (alguns!) servem café da manhã, cobrando à parte por isso ou pedindo donativo. Tem também albergues que possuem cozinha para os peregrinos, onde você pode preparar o próprio café. É comum ter bares e padarias perto dos albergues, onde pode tomar seu desjejum. Em geral gasta-se até 3 euros no café, sendo este um valor alto.

Jantar comunitário, participe quando tiver!

Como eu já disse, albergue foi criado para o peregrino tomar banho e dormir. Isso não quer dizer que não possam oferecer outros serviços, porém não conte com outros serviços. É também o caso do jantar. Alguns albergues oferecem a cena comunitaria, ou seja, jantar comunitário. Em geral é preparado pelo albergue para os peregrinos, muitas vezes com a ajuda dos hóspedes. A maioria pede apenas um donativo, onde você decide o valor e coloca em uma caixinha. É muito gratificante participar destes momentos. Sempre que puder, aproveite! E doe um valor justo para que o albergue possa continuar oferecendo uma refeição para outros peregrinos.

Só para esclarecer, há alguns albergues que servem a cena também, mas cobrando um valor fixo. Mas o mais comum é você ter que procurar um restaurante ou fazer seu próprio jantar, quando tem uma cozinha disponível para peregrinos.

Lavar roupa não é problema

Lavar a roupa, algo que muita gente pergunta. Afinal, já leva pouquíssimas peças, como vai fazer para lavar?  A maioria dos albergues conta com um espaço para isto com tanque ou máquinas (pagas). Mas eu explico isto em outro artigo sobre lavar roupa nos albergues, aqui mesmo no blog.

Escrevi neste artigo baseado nas perguntas que alguém já me fez um dia. Pelo menos foi o que lembrei. Surgindo mais dúvidas ou sugestões de outros peregrinos, vou adicionando no artigo. Afinal, quanto mais informação, melhor!

Buen Camino!

Print Friendly, PDF & Email
Gostou do artigo? Compartilhe!

8 Comments

  1. Marco Antonio Riuto 16 de novembro de 2016 Reply
    • Claudio Bittencourt Pacheco 16 de novembro de 2016 Reply
  2. dotrovador 16 de novembro de 2016 Reply
    • Claudio Bittencourt Pacheco 17 de novembro de 2016 Reply
  3. Elizabeth Stefanello Teixeira 17 de novembro de 2016 Reply
    • Claudio Bittencourt Pacheco 17 de novembro de 2016 Reply
  4. RUBENS 22 de março de 2017 Reply
    • Claudio Bittencourt Pacheco 22 de março de 2017 Reply

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.