Caminho de Santiago: 1ª Etapa – Saint-Jean-Pied-de-Port a Roncesvalles

15 186

A maioria dos guias sobre o Caminho de Santiago de Compostela indicam como a primeira etapa do Caminho Francês o trecho entre Saint-Jean-Pied-de-Port, na França, até Roncesvalles, na Espanha. Esta é considerada uma das etapas mais duras do Caminho de Santiago.

A travessia dos Pirineus exige muito do peregrino por ser extensa e pela grande variação de altitude. Por isso é importante ir com calma para não comprometer todo o Caminho já no primeiro dia. Este é um erro muito comum entre os peregrinos.

Existem duas rotas para fazer esta travessia, sendo que a mais tradicional é a rota de Napoleão. Porém a rota de Valcarlos é sempre indicada (ou obrigatória) dependendo das condições climáticas. E é importante frisar: se avisarem que não é para ir pela montanha, não vá! O risco de acontecer algo muito ruim é grande.

A etapa dos Pirineus, como é conhecida, pode ser dividida em duas partes dependendo das condições físicas do peregrino, das condições meteorológicas e/ou do tempo disponível. Se o peregrino sair muito tarde de Saint-Jean-Pied-de-Port, é recomendado fazer a travessia dos Pirineus em duas partes. Bem, na verdade não é nada recomendado sair muito tarde. 🙂

Pela Rota de Napoleão

Também chamada de “rota pela montanha”, é o trajeto mais bonito, com uma vista maravilhosa (quando o clima permite).

Caminho de Santiago, atravessando os Pirineus pela Rota de Napoleão
Caminho de Santiago, atravessando os Pirineus pela Rota de Napoleão

É praticamente uma subida constante por cerca de 20km e mais aproximadamente 5km de descida muito íngreme. Há dois albergues neste trecho: um em Hunto, no km 5.5 e outro em Orisson, pouco antes do km 8. O albergue de Orisson fica praticamente na metade da altitude total a ser vencida.

Publicidade

Orisson é também o último ponto de parada onde pode-se comprar algo para comer. Como fica um pouco depois de uma forte subida, é o lugar ideal para o peregrino descansar, comer algo e abastecer-se de água. A vista é incrível, mais um motivo para ficar alguns minutos neste lugar.

Muitos peregrinos passam a noite neste albergue, dividindo a etapa em duas. Ótima ideia para quem não está bem preparado fisicamente.  Porém deve-se reservar com antecedência, pois é comum lotar bem cedo.

Fiquei ali apenas duas vezes, em 2009 e 2017. Um importante aviso: preste atenção nos horários! Quando eles falam que o café da manhã é às 7hs, é às 7hs e não a partir das 7hs! Ou seja, não se atrase pois arrisca ficar sem café.

Outra coisa que deve saber é sobre o banho. Se nada mudou, você tem 5 minutos de água no banho. Ao pagar o albergue você recebe uma ficha. Ela será colocada em uma caixinha no banheiro, dentro da ducha, que libera a água por este tempo. Passou os cinco minutos não sai mais nenhuma gota!

Depois de Orisson, a subida continua por muitos quilômetros. Nos últimos cinco quilômetros da etapa a descida é bastante acentuada. É recomendável pegar o caminho por Ibañeta para evitar algum acidente. Isso aumenta o trajeto um pouco, mas é bem mais seguro.

Pela Rota de Valcarlos

Caminho de Santiago, atravessando os Pirineus pela Rota de Valcarlos
Caminho de Santiago, atravessando os Pirineus pela Rota de Valcarlos

É também considerada a rota de inverno. Alguns chamam-na de rota “pelo vale” ou “pelo asfalto”. Este último nome é porquê cerca de 2/3 do trecho até Roncesvalles é feito no acostamento da rodovia ou por estradas locais asfaltadas. Mas não se engane, a parte que é percorrida por trilhas não é das mais fáceis e tem muitas subidas pesadas, principalmente nos últimos quilômetros.

Publicidade

Poucos quilômetro depois de SJPP, o peregrino deve abandonar a rodovia principal e seguir por estradas locais. Alguns peregrinos não fazem isto para economizar alguns metros, mas é muito perigoso, pois a rodovia tem muitas curvas e pouca visibilidade. Neste pedaço do caminho há muitas subidas e descidas um pouco mais duras, onde algumas vezes você vê a rodovia principal bem abaixo de onde está, pouco depois desce até o nível dela e sobe novamente em seguida.

Complexo de Ventas, na fronteira

Por volta do Km 6,5, chega-se ao complexo de Ventas, na Espanha. Este complexo fica bem na fronteira entre a Espanha e a França. É uma excelente oportunidade para uma pausa em lugar climatizado e seco. Este lugar é excelente para tomar um café, comer algo, ir ao banheiro e também comprar alguma coisa no supermercado, pois há boa estrutura de comércio. Aliás, é um lugar onde só há comércio.

Saindo de Ventas, o peregrino chega a Arneguy, na França, no km 8. Há duas variantes no trecho até Valcarlos. Uma pela rodovia, e outra pelo lado francês, por uma estrada local (também asfaltada). Eu prefiro ir pelo lado francês, seguindo pela esquerda na indicação da bifurcação, por ser mais seguro e bonito.

Valcarlos, Espanha, no Caminho de Santiago
Valcarlos (Espanha) à noite, no Caminho de Santiago.

Anda-se mais 3 quilômetros e, no km 11, está o povoado de Valcarlos. É outro ponto de parada, o último antes de Roncesvalles. Nesta localidade deve-se abastecer o cantil, pois não serão encontradas fontes até o fim da etapa. E a partir deste ponto as coisas ficam um pouco mais difíceis. É depois desta cidade que começa a subida de verdadade. Em Valcarlos tem um ótimo albergue público, mercado, restaurantes e farmácia. Muita gente prefere pernoitar neste albergue para terminar a etapa no outro dia, pois, como já disse, depois daqui a subida fica cada vez mais pesada.

Roncesvalles (Orreaga)

Em Roncesvalles procure o albergue, se instale, tome seu banho e em seguida procure o lugar para jantar. Eu gosto muito de jantar na pousada La Posada de Roncesvalles, mas precisa reservar seu lugar. Para reservar é necessário ir até o bar da pousada, que fica na “saída” do pueblo. Deve pagar adiantado e recebe um voucher para o menu peregrino. Dependendo do horário que chegar em Roncesvalles, pode fazer um lanche lá, pedindo um bocadillo e tomar uma taça de vinho. No frio eles acendem a lareira e fica bem aconchegante. Peça para jantar às 19:00hs, pois tem a opção de jantar às 20:00hs, quando tem muita gente.

Tem também a opção de jantar no albergue, cozinhando ou comprando algo pronto nas máquinas automáticas. Neste dia eu prefiro ir até a pousada por estar normalmente bastante cansado, além de que no restaurante a gente pode sentar-se em uma grande mesa cheia de peregrinos, oportunidade imensa para fazer amigos!

Às 20:00hs tem a missa dos peregrinos. Se informe no albergue onde é a igreja e localize-a antes de qualquer coisa. Assim pode ir para lá com calma depois do jantar. Tendo tempo, visite a Real Colegiata. Vá também dar uma volta pelo pequeno pueblo. É muito pequeno, mas é interessante passar por “tudo”, principalmente se estiver no albergue antigo.

IMPORTANTE!

Não só nesta etapa, mas principalmente nesta por ser a primeira, aprenda a não ter pressa, principalmente na descida. Não aproveite para ir mais rápido. Isso pode fazer com que você machuque seu joelho e comprometa o resto da viagem.

Outra coisa que deve-se ter em mente é que as pausas são fundamentais. Sempre é bom dar uma parada para descansar e comer algo. São os 15 minutos que fazem toda diferença. Se possível, tire as botas e troque as meias por outras secas, ajuda a evitar bolhas. Recomendo fazer isto a cada 2 horas, ou 10 quilômetros, mais ou menos.

E lembre-se: água, muita água! Sempre beba água, não esqueça de beber água. Repetindo para você não esquecer! 🙂 E, portanto, sempre tenha água em mãos. Sempre tenha seu cantil abastecido. E quando encontrar uma fonte, certifique-se primeiro que tem água. Só depois jogue fora a água guardada e pegue água fresca.

Publicidade

Muitos peregrinos preferem iniciar o Caminho em Orreaga (Roncesvalles) para evitar a dura etapa dos Pirineus. Mas recomendo enfrenta-lo, mesmo que dividindo em duas partes. Vale a pena e você terá uma lembrança muito boa para sempre! Curta o Caminho, principalmente os Pirineus!

Buen Camino!

Print Friendly, PDF & Email
15 Comments
  1. Solange Bruno Ruiz says

    Adorei seus comentários! Obrigada por compartilhar!

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Bom saber que gostou! se tiver alguma dúvida mais específica ou sugestão, é só enviar que respondo ou mesmo procuro fazer um artigo sobre o assunto!
      Agradeço imensamente o seu contato e o elogio!

      Um abraço,

      Claudio

  2. Laura Macêdo says

    Caríssimo, gratidão pelo cuidado e os detalhes contidos na descrição dos seus posts. Farei o Caminho Frances partindo de Saint Jean em set-17 e tenho lindo muito, o que acaba pirando o cabeção. A leitura de seus posts tem me acalmado e estimulado. Abençoada semana.

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Obrigado por escrever Laura! Fique tranquila, tudo dará certo lá. O Caminho de Santiago sempre nos guia para a direção certa. Não esqueça de contar como foi depois! Se quiser escrever um relato eu posso publicar aqui, seria muito legal. 🙂

      Boa semana, um abraço e buen Camino!

  3. Roberto Físico says

    Olá Cláudio, tudo bem?…estarei iniciando minha jornada no dia 1° de Junho sendo que neste dia, chegarei a SJPP às 09h30m e ainda pegarei a credencial, ou seja, iniciarei o percurso por volta das 10h30. Você acredita que a saída de SJPP neste horário pode prejudicar minha chegada em Roncesvalles a tempo de ficar na mão quanto a vaga no albergue?…acredito que seja possível fazer o trajeto em 7h e chegaria no fim da 1a etapa (Roncesvalles) às 17 ou 18h!

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá Roberto!

      Junho é um dos meses mais cheios, acredito que é perigoso sim. Outra fator é que o trecho é bem puxado mesmo e o sol estará bem forte. Eu recomendo ou começar no dia seguinte, ou reservar um lugar em Orisson e dormir lá. Se for reservar deixe claro que vai mesmo, se possível até pague adiantado. Aconteceu comigo de reservar, chegar lá e não ter lugar (vou detalhar isto no artigo da primeira etapa).

      Um abraço e buen Camino!

      Claudio

  4. Giane Godoi says

    Olá Claudio, obrigada por compartilhar sua experiência. Quero parabeniza-lo, pois tudo que estou lendo no seu blog, está sendo super útil.
    Início minha caminhada dia 5 de Setembro/2018 saindo de SJPP, estou mega ansiosa. Obrigada pelas dicas!!!

  5. DEIDES FERREIRA LOPES says

    Olá Cláudio.
    Obrigado por disponibilizar sua experiência peregrina, e assim permitir a outros se orientar por ela. Estou elaborando meu planejamento com base na sua experiência. Está me sendo muito importante e útil. Parabéns! Deus te abençoa!

    1. Olá Deides!

      Obrigado por acompanhar meu blog!

      Lembre-se que as etapas são sugestões, você deve se planejar de acordo com as suas necessidades e conveniência. Quando estiver lá, não se prenda a programação das etapas, siga o seu coração, ouça seu corpo e caminhe até onde achar que deve. Muitas vezes alteramos nosso planejamento e temos muitas surpresas agradáveis! 🙂

      Logo publicarei mais dicas, fique de olho!

      Um abraço e bom Caminho!

      Claudio

  6. Gérard says

    Cara, decidi ontem, dia 31/12/2018 a fazer o Caminho de Santiago e espero em 2020 conseguir fazê-lo. Por isso, desde já agradeço o conteúdo disponibilizado.

    Gostaria de saber se você fez ou teve algum preparo anterior.

    Abraços!

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá Gérard!

      Obrigado por ler o blog! É bom saber que seu conteúdo está ajudando os futuros peregrinos! 🙂

      Olha, já fui com um pouco de preparação e sem preparação (brinquei dizendo que ia me preparar lá). Você sempre vai conseguir fazer, porém a preparação vai te ajudar a sofrer menos.

      Eu acredito que não precisa uma preparação de atleta, apenas caminhadas diárias já ajudam bastante. Alguns meses antes da viagem pode aumentar um pouco a distância, entre 5 e 10 km por dia (de 1 a 2 horas de caminhada). Por mais preparado que esteja, ninguém nunca está preparado. 🙂
      Se puder fazer algo para reforçar os músculos, como musculação ou pilates, certamente vai ajudar também. O mais importante é preparar a cabeça, pois tem momentos que sentimo-nos tentados a desistir ou pegar um ônibus ou táxi – mesmo sem uma necessidade real.
      O importante é, estando lá, saber respeitar os seus limites. Se for preciso, altere sua programação, mude seu destino do dia.

      Se tiver mais dúvidas, só perguntar!

      Um abraço e bom Caminho!

      Claudio Pacheco

  7. Claudia says

    Olá Claudio, gostaria de informações sobre o mês de novembro, pois é a data que posso ir. seria do período, começando em 25.10.2020 e pretendendo chegar à Santiago mais ou menos 05.12.2020. Não vi na internet relato sobre esse período, nem mesmo peregrinos que fizeram nessa época, mas tou tentando através de posts que vejo de pessoas que tem, pelo menos, alguma orientação. Se puder me dizer sobre condições de tempo, se existem pessoas que vão, o que puder de informação p me ajudar, ou com quem posso me informar, agradeço. saudações

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá Claudia!

      Este período é bem complicado por causa das condições meteorológicas. Muitos albergues estarão fechados também, o que dificultará seu planejamento (talvez precise ficar em pensões ou hotéis. Ou então andar distâncias maiores). Conheço sim quem fez o Caminho de Santiago no inverno, é uma participante de um grupo sobre o Caminho de Santiago no Facebook. Vou procurar as informações sobre o grupo e o nome da pessoa e passo no seu e-mail.
      Como é seu primeiro Caminho, talvez seja interessante você pesquisar muito antes de ir nesta época do ano. Realmente não é recomendável, sendo até perigoso em alguns trechos.

      Um abraço e bom Caminho!

      Claudio Pacheco

  8. PAULO LEHMKUHL says

    Muito Obrigado pelo relato detalhado na medida exata. Comecei meu caminho há algumas semanas pelo brasileiro (Florianópolis). Mesmo sendo ‘apenas’ cerca de 26 km, um erro meu e a falta de agua após 1h30 na Ponta do Rapa e 240 metros de desnível após já ter caminhado uns 14.5 km me obrigaram a reprogramar, interromper e terminar semana passada recomeçando na Praia Brava, Morro da Feiticeira e as Igrejas de Nossa Senhora dos Navegantes e finalmente o Santuário do Sagrado Coraçao de Jesus aonde recebi os carimbos. Uma pequena realizaçao extremamente gratificante. AGUA, REFLEXAO e descobrir seus limites. Pretendo fazer a partir de Lourdes em 2020. E fazer o Ingles ou o Portugues em setembro/outubro proximos. Muito Obrigado novamente.

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá Paulo!

      Obrigado por ler o blog! Seu comentário é muito relevante, mostra a importância de sempre termos e bebermos água. Às vezes acreditamos que não estamos com sede, mas sentiremos o efeito da desidratação mais tarde.
      O Caminho de Santiago a partir de Lourdes deve ser lindo, aproveite!

      Um abraço e bom Caminho!

      Claudio Bittencourt Pacheco

Leave A Reply

Your email address will not be published.

quinze − sete =