26ª etapa – Ponferrada a Villafranca del Bierzo

0

Como foi dito na descrição da etapa anterior, o trecho entre Ponferrada e Villafranca del Bierzo não será tão fácil. Não tanto pela distância de 23,6 quilômetros, mas pelo relevo e pelo longo trecho urbano na saída de Ponferrada.

Nessa etapa você já pode começar a contagem regressiva para Santiago de Compostela. Afinal, pode-se considerar que saindo de Ponferrada faltam “apenas” 200 quilômetros, aproximadamente, para chegar. Claro que esta distância pode variar um pouco dependendo do trajeto que você fizer, mas pode considerá-la como referência.

Neste dia planeje bem as paradas e não esqueça da sua água. Preste bastante atenção na sinalização, principalmente em Ponferrada e depois de Cacabelos.

Muito cuidado também com desvios desnecessários neste trecho. Esta recomendação deve-se a alguns bares e pueblos mudarem a sinalização oficial por interesses econômicos.

Outras vezes dizem que é para evitar o asfalto, mas pode aumentar o trajeto. Talvez seja uma boa ideia, se você tiver disposto a andar um pouco mais. Isso eu vou explicar mais para a frente.

Saindo de Ponferrada

A primeira coisa que aviso: prepare-se. Para sair de Ponferrada você enfrentará um longo e cansativo trecho urbano. Isso acontece porque o albergue fica praticamente no começo da cidade, que não é pequena. Além disso, vai passar por algumas localidades praticamente grudadas umas nas outras.

Publicidade

Pouco depois de sair do albergue você vai passar ao lado do Castelo dos Templários. A partir daqui você precisa prestar atenção aos sinais pois você não encontrará a tradicional flecha amarela com fundo azul!

Uns 100 metros depois de começar a andar ao lado do castelo, você vai fazer uma leve curva para a esquerda. Poucos metros depois terá uma bifurcação.

Na parede da construção que inicia a bifurcação você verá sinais em metal dourado indicando bicicletas para a esquerda e peregrinos a pé para a direita. Estes sinais dourados são bonitos, mas às vezes são difíceis de enxergar, já que estamos acostumados ao formato tradicional.

Depois de andar mais alguns passos você estará na Plaza Virgen de la Encina. Mantenha-se sempre à esquerda e logo encontrará uma escadaria, que você vai descer e seguir em frente.

Foto da escadaria logo depois da Praça da Virgem, em Ponferrada, vista de baixo. Ao lado da escadarias há várias casas.
Escadaria que o peregrino irá descer depois da Plaza de la Virgen, em Ponferrada.

Para facilitar a localização desta escadaria, pouco antes tem um bar na esquina com a indicação em metal dourado na parede. É meio difícil de enxergar para quem não conhece esta sinalização. Bonita, porém não é tão chamativa.

E assim você vai, escada, descida, escada, descida… até chegar na Avenida de la Puebla. Neste ponto já avistará a sinalização tradicional do Caminho de Santiago perto da cabeceira da ponte, no outro lado da rua.

A ponte que deu nome à cidade

Seguindo a indicação, você vai cruzar esta ponte, cujo nome é Puente de la Puebla. Segundo historiadores, foi esta ponte que deu nome à cidade. O bispo Osmundo, de Astorga, teria mandado construí-la no ano de 1086 para facilitar a passagem dos peregrinos pelo rio Sil.

A ponte deveria ter correntes de ferro para facilitar a cobrança de uma espécie de pedágio (há também quem diga que a ponte teria sido reforçada com ferro). Por isso era chamada de Pons Ferrata (ponte de ferro) e acabou dando o nome ao lugar.

Continuando até Compostilla

É preciso muita atenção na saída de Ponferrada. A sinalização, apesar de existir, algumas vezes é muito discreta. Há caminhos para peregrinos a pé e para os bicigrinos. É fácil se perder e seguir o trajeto mais longo ou menos agradável aos pés do caminhante.

Publicidade

Assim será até você chegar à Cruz Vermelha. Logo em seguida será possível ver uma sinalização um pouco melhor, com flechas pintadas no chão também, indicando que deve virar à direita.

Você cruzará a plaza Poblado, passando por baixo da prédio que existe ali. Depois verá a igreja da Paróquia de Compostilla (km 3,7). Compostilla na verdade é um dos doze bairros de Ponferrada. Ou seja, ainda não saiu da cidade.

Compostillla a Columbrianos

Depois da igreja você passará ao lado de algumas quadras de tênis e de futebol. O piso será de asfalto ou cimento, já que tem calçada ao lado da rua.

O caminho é sempre em frente, sempre reto, até o km 4,7, onde você vai andar uns 50 metros em uma pista de terra. Passará então por uma pequena localidade, já com asfalto e calçadas de cimento. No fim desta localidade terá uma bifurcação onde você seguirá pela direita. Está bem sinalizado, portanto, é só seguir as indicações.

Pouco antes de chegar no km 4,7 você passará por baixo da rodovia N-VI. E então encontrará outra bifurcação, melhor sinalizada, onde você irá pela pista da esquerda. Andará 300 metros e chegará no cemitério. No km 5,1 passará ao lado da Iglesia de Sán Blás.

Chegando no km 5,35 você cruzará a carretera (rodovia) CL-631. Muito cuidado, pois cruzará pela rodovia, na faixa de segurança. Estará finalmente entrando em Columbrianos!

Columbrianos a Camponaraya

O trecho entre Columbrianos e Camponaraya será predominantemente descida. Aproveite, afinal depois será bem diferente.

Publicidade

Assim que você chegar na rodovia que cruza o pueblo de Columbrianos, deve atravessá-la, mantendo-se no lado esquerdo. Logo depois verá as flechas para seguir pela esquerda em uma bifurcação.

A partir deste ponto caminhará sempre em frente, pelo asfalto, numa pequena estrada com algumas casas distantes umas das outras. Assim seguirá até chegar numa cruz, no km 7,8. Esta cruz é apenas uma referência para saber que você está chegando em Fuentesnovas (km 8,1).

Foto da Avenida de Santiago em Camponaraya. Na calçada, um pouco à frente, há um peregrino caminhando.
Av. Camino de Santiago, em Camponaraya

Continuando sempre em frente, andará sobre o duro piso de concreto até o km 8,9, onde ele vira asfalto novamente. Você estará em uma estrada estreita e, como sempre, deve caminhar pela esquerda. Assim continuará até o km 9,9, onde encontrará a Av. Camino de Santiago, ou rodovia LE-713. Estará chegando a Camponaraya.

Camponaraya é um bom lugar para eleger como local de descanso. Está no km 10.5, ou seja, praticamente a metade do trajeto do dia. A próxima parada será em Cacabelos, 5,5 quilômetros depois.

Portanto, aqui você pode aproveitar a boa estrutura de bares e restaurantes para comer algo, trocar as meias úmidas e descansar um pouco os pés. Mas já aviso, talvez seja uma boa ideia fazer uma segunda parada em Cacabelos, dependendo do tempo disponível e da sua condição física.

Camponaraya a Cacabelos

Aqui já começa a mudar um pouco o relevo. Uma preparação para o trecho final, depois de Cacabelos. Serão duas grandes subidas (seguidas de boas descidas). Uma no km 11,3 e outra no km 13,7.

Em Camponaraya você vai seguir pela Av. Camino de Santiago até a rotatória. Vai contorná-la seguindo pela Av. Francisco Sobrín até a próxima rotatória. Seguirá reto e logo em seguida você sairá da estrada pela esquerda. Passará então pela Cooperativa Viñas del Bierzo. Aqui a sinalização é bem discreta, praticamente inexistente, se nada mudou.

Foto da estrada de terra a caminho de Camponararya. Nos dois lados da pequena estrada há plantações, sendo a da direita de uvas.
Caminho, próximo à Cacabelos.

No quilômetro 11,8 você passará por uma ponte por cima da rodovia A-6 (Autovía del Noroeste) e, 200 metros depois, finalmente andará numa pista de terra. Um verdadeiro alívio para os pés!

Publicidade

Chegando ao km 14,3 você atravessará (cuidado!) a rodovia LE-713, voltando ao asfalto. No km 15, praticamente na entrada de Cacabelos, você encontrará uma área de descanso com sombra e fonte de água. Pouco depois será uma descida até o centro da cidade.

Cacabelos é uma cidade com boa estrutura de bares, restaurantes, albergues e todo tipo de serviço que possa precisar. Daqui até Villafranca del Bierzo serão mais 7,5 km, aproximadamente.

Foto do albergue de Cacabelos, que fica na saída da cidade.
Albergue de Cacabelos, na saída da cidade.

Você pode optar por fazer uma parada na cidade para enfrentar a última e mais dura etapa do dia.

Cacabelos a Villafranca del Bierzo

Até aqui você já encontrou algumas subidas e descidas, mas o pior vem agora. Já na saída de Cacabelos vai ter uma subida bem puxada, a primeira deste trecho até Villafranca del Bierzo.

Será no km 16,8 que você começará a subir, andando na calçada ao lado da estrada. Serão 2 quilômetros de subida, indo da altitude de 474 metros até 570 metros. Quase 100 metros em 2 quilômetros. Ou seja, a subida será bem íngreme.

No meio da subida (não exatamente no meio), você passará por Pieros, uma pequena localidade onde você encontrará uma fonte de água e algum lugar para comer, se você quiser parar e descansar um pouco da pesada subida.

Cuidado com a sinalização errada!

É importante ressaltar que o trajeto original continua na estrada em que você estava. Saindo de Pieros, cerca de 170 metros depois da fonte de água, você vai encontrar um bar ao lado esquerdo.

E praticamente no fim da subida terá uma estrada à sua direita. Fique atento neste ponto! Há diversas indicações para seguir por esta estrada, porém é um caminho alternativo, não oficial. Apesar de mais agradável, aumentará seu trajeto em pouco mais de 1 quilômetro. O trajeto oficial é seguindo pela rodovia em que você estava.

Foto da estrada, com um senhor andando no acostamento do lado direito, portando um guarda-chuva. No chão, do lado direito, algumas flechas pintadas indicam a saída para o caminho alternativo.
Flechas pintadas no chão indicam o caminho alternativo à direita, no fim da subida, no quilômetro 20.6.

Você continuará nesta estrada até o km 20,6, onde encontrará um área de descanso do lado direito e a sinalização para entrar numa pequena estrada.

Saindo da rodovia e chegando em Villafranca del Bierzo

Passando a área de descanso você vai começar a subir novamente. Sim, outra subida pesada. O Guia Consumer a define como um tobogã, pois é o que parece.

No lado esquerdo da foto há uma peregrina na útlima grande subida antes de Villafranca del Bierzo.
No lado esquerdo, em primeiro plano, há diversas flores brancas e folhas verddes.
Subida depois de sair do asfalto, próximo à Villafranca del Bierzo.

Quando você chegar no km 22 verá que outro caminho se juntará a este que está percorrendo. É o trajeto alternativo que comentei que existe pouco depois de Pieros.

Continuando mais 300 metros para a frente, a estrada de terra se junta a outra, de asfalto. A partir daí começa a descida final. Tudo bem que não é só descida, tem uma pequena subida logo em seguida, mas algo insignificante.

A foto mostra a estrada de terra pouco antes de Villafranca del Bierzo. À direita da estrada há um terreno mais baixo com o albergue municipal de peregrinos.
Albergue municipal de Villafranca del Bierzo, um pouco afastado da cidade, cerca de 500 metros.

O albergue municipal fica no km 23,2. E pouco mais de 100 metros adiante fica a Igreja de Santiago (com a famosa porta do perdão) e, ao seu lado, o também famoso albergue Ave Fenix, do Jesus Jato.

Foto da Igreja de Santiago, que tem a Porta do Perdão, em Villafranca del Bierzo.
Igreja de Santiago, com a Porta do Perdão, a poucos metros do albergue municipal e ao lado do albergue Ave Fénix.

A cidade de Villafranca del Bierzo

Vale lembrar que estes albergues mencionados ficam na entrada da pequena cidade de Villafranca del Bierzo. Há vários albergues nesta localidade, assim como boa estrutura de mercados, farmácias, bares e restaurantes.

Se você tiver tempo e disposição, conheça um pouco a cidade, a plaza mayor (onde tem vários restaurantes) e o castelo. Faça isso mesmo que tenha se hospedado no albergue municipal, que fica um pouco afastado do centro (algo como 500m).

Foto da Plaza Mayor de Villafranca del Bierzo com diversas mesas em frente aos restaurantes que existem nesta praça.
Plaza Mayor de Villafranca del Bierzo, onde pode-se ver diversas mesas dos restaurantes existentes neste lugar.

E o principal: não deixe de descansar muito, pois o próximo dia será muito puxado. Você chegará ao Cebreiro. Apesar da distância não ser muito grande, é difícil lembrar algum trecho de descida até lá.

Print Friendly, PDF & Email
Publicidade

Leave A Reply

Your email address will not be published.

4 × dois =