34º etapa – O Pedrouzo a Santiago de Compostela

0 47

Finalmente chegamos à última etapa do Caminho de Santiago. Não é preciso dizer que este dia é mais que especial, não é mesmo?

A sensação de último trecho talvez deixe as coisas um pouco mais difíceis do que realmente são, pois cada metro parecerá ter muito mais que 100 centímetros!

Não será uma etapa das mais fáceis, muitas subidas e descidas, alguns trechos de asfalto e os últimos quilômetros, intermináveis, já dentro da cidade. Mas também não é tão difícil quanto parece.

Bem, tome seu café, alongue-se, respire fundo e vamos colocar o pé na estrada!

O Pedrouzo a San Paio

Não sei se foi a minha empolgação com o último dia do Caminho Francês que não não me deixou ver a sinalização ou se ela não é muito boa mesmo. Sei que, na última vez que passei por ali, me bati um pouquinho para sair de O Pedrouzo. Por isso vou descrever também a saída desta pequena cidade.

Saindo de O Pedouzo

Depois do albergue municipal você vai continuar pela rodovia N-547 em direção à cidade. Logo verá mais prédios, albergues e cafés. Você vai continuar por esta rodovia, que é também a rua principal de O Pedrouzo por quase 400 metros, até chegar à Casa do Concello, que fica do lado direito.

Neste ponto você deve virar à direita e seguir sempre por esta rua. Foi aí mesmo que não vi a indicação e acabei seguindo reto, mas depois dei um jeito de retornar ao caminho em menos de 1 km.

Continue sempre pela mesma rua. Depois de passar pelo bar O Muiño, serão mais ou menos 200 metros até encontrar a primeira rua que vem pela esquerda. É por esta rua que você chegaria neste mesmo ponto, caso tivesse optado por passar reto pela cidade, como descrevi no fim da etapa anterior (seguir pelo bosque de eucaliptos, desviando da cidade) .

Nesta rua você verá placas indicando o centro de saúde e o polidesportivo. Porém você deve continuar na rua que estava, apenas atravesse para o lado esquerdo na próxima faixa de pedestres.

Poucos passos depois terá um bar do lado esquerdo e, mais 60 e poucos metros, já terá uma indicação de que o caminho segue pela esquerda. Pronto! A partir daí a sinalização melhora novamente!

Continuando até San Paio

Saindo da rodovia, você entra novamente no bosque de eucaliptos do dia anterior. Caminhará por aproximadamente 500 metros e chegará a um pequeno grupo de casas. Mais alguns poucos passos e entra novamente em outro bosque.

Quase um quilômetro depois você sairá do bosque, mas o piso continuará agradável. Porém no km 2,90 você começa a caminhar no asfalto. Um pouco depois chegará a O Amenal (km 3,7). Neste lugar você atravessará a rodovia N-547 por um túnel. Atenção, alguns acabam indo por cima, é perigoso!

O Amenal é um lugar muito pequeno, mas tem um hotel e restaurantes. Se quiser tomar um segundo café da manhã, pode ser uma boa opção, apesar de ter andado tão pouco ainda. Bem, nada impede de tomar o seu primeiro café da manhã lá, já que a distância até o Amenal não é tão grande e não tem grandes dificuldades.

Assim que passar por O Amenal vai começar uma subida, a maior do dia. Pelo menos o piso é bem agradável.

O caminho depois de Amenal.

Serão 1,9 quilômetro para um ganho de altitude de 121 metros. Vá devagar para não cansar, pois há muito chão pela frente.

Ao chegar no topo da subida, você vai virar à direita para contornar o aeroporto de Lavacolla (aeroporto de Santiago de Compostela). Aqui você anda mais 400 metros, até encontrar a rodovia A-54. Neste ponto você vira à esquerda e caminhará numa trilha próxima à rodovia.

Nem 100 metros depois você vai encontrar o marco de entrada no município de Santiago de Compostela. Aí a gente tem a sensação de que está chegando, mas falta muito ainda, calma…

Marco na entrada do múnicipio de Santiago de Compostela. Calma, falta muito para a cidade ainda…

Um pouco para a frente e você passará por trás da cabeceira da pista de pouso. Continuará contornando o aeroporto e, no km 7,55 estará em San Paio, um pequeno pueblo.

Cabeceira da pista do aeroporto de Santiago de Compostela.

Aqui a tentação de parar para comer algo e descansar será grande. Mas sugiro que você continue um pouco mais para a frente, ainda é cedo para isso.

San Paio a Lavacolla

Nem 500 metros depois de San Paio você vai passar por baixo da rodovia SC-21, a rodovia que liga a A-54 ao aeroporto. Continuará em frente até o km 8,95, onde vai virar à direita. Estará entrando na localidade de Lavacolla, que dá o nome ao aeroporto.

Aqui o piso é asfalto e quase não tem mais árvores. O relevo não é um problema, pois será uma leve descida até a igreja, porém a paisagem já não ajuda mais.

Continuando sempre reto nesta rua por quase 700 metros. Você fará uma curva à esquerda, acompanhando um grande muro, por cerca de 100 metros. Chegará então na Igreja de Lavacolla (km 9,8). Estará praticamente na metade do caminho entre O Pedrouzo e Santiago de Compostela.

Igreja de Lavacolla

Aqui sim vale uma paradinha para descansar e comer algo. Bem, vale a pena anotar a dica que vou dar, que só descobri depois de percorrer algumas vezes o Caminho Francês.

Dica: Onde comer em Lavacolla

Ao chegar na Igreja, terá uma escadaria que você terá que subir para continuar no Caminho de Santiago. Porém, descendo você vai chegar em uma pracinha onde você encontrará alguns bares. Então, desça até os bares, descanse e depois torne a subir para continuar o trajeto.

Vista a partir da Igreja de Lavacolla. Na parte de baixo da escada tem restaurantes e bares.

A dica é a seguinte: no bar Botana você pode comer bem. Pode pedir um prato, uma porção ou… um bocadillo gigante! Sim, ele é conhecido por seus bocadillos enormes. Apenas um pode alimentar (quase) duas pessoas. Vale a pena conhecer (e comer!).

O bocadillo do bar Botana, em Lavacolla, é realmente gigante. Dá para duas pessoas tranquilamente!

Lavacolla a Vilamaior

Voltando para o Caminho de Santiago, você sobe novamente as escadas até chegar na igreja de Lavacolla e segue pela direita dela. Logo estará cruzando a rodovia N-634.

Mais 100 metros e terá uma pequena placa na sua direita, indicando o caminho a seguir, um pequeno atalho para os peregrinos. Espero que você tenha descansado bem, pois aí começa outra subida. Elevação de 114 metros em dois quilômetros.

Aqui a subida é bem mais sofrida, tanto pela inclinação como pelo piso de asfalto. Sem falar do perigo dos carros, mantenha-se sempre à esquerda da pista!

Praticamente no meio da subida você passará por Vilamaior, no km 11,1, onde a subida dá uma trégua por poucos metros. Não há muita coisa neste lugar, mas você pode comprar um refrigerante na Casa de Amancio, um hotel e restaurante. Acho que é o único estabelecimento que tem aqui.

Se preferir pode parar para descansar também em uns banquinhos embaixo das árvores. Eles ficam logo ao lado da Casa de Amancio, na rua transvesal.

Vilamaior a Monte do Gozo

A subida forte finalmente acaba no km 12,2. A partir deste ponto uma grande reta de 1,3 quilômetros pela frente. No quilômetro 12,9 você passará em frente à TVG (Televisión de Galicia).

A reta sem fim…

No meu primeiro Caminho de Santiago, nesta última etapa eu tinha saído de Ribadiso de Baixo. Esta reta parecia não ter fim. Como eu não via peregrinos nem muita sinalização, comecei a achar que estava enganado.

Já no fim desta rua, no km 13,5, você vira à esquerda. Nesta esquina tem o Chiringuito Bar Camping San Marcos. Cerca de 200 metros depois você vira à direita e pega outra reta sem fim, de asfalto.

Quase um quilômetro nesta reta e você vira à direita para, pouco depois, virar à esquerda. Estará chegando em San Marcos, no km 14,9. Em San Marcos você vai encontrar alguns bares e restaurantes. Alguns deles fora da rota, mas a poucos metros de onde você estará.

Vista de San Marco, na rua que chega ao Monte do Gozo.

Outros 500 metros de subida e você chegará à Capela de San Marcos. Um bom lugar para conhecer e pegar mais um carimbo. Dali você já avistará o monumento do Monte do Gozo.

Monumento no alto do Monte do Gozo.

Seguindo pela trilha à esquerda da capela você vai até o complexo do Monte do Gozo, onde tem albergue e alguns serviços. Muitos peregrinos ficam aqui para deixar os últimos 5,5 quilômetros para o último dia. Inclusive, alguns que saem de Arzúa passam direto por O Pedrouzo, caminhando aproximadamente 35 quilômetros na etapa anterior.

Corredor do albergue do Monte do Gozo, com os diversos quartos. Muito bem estruturado e organizado.

Apesar de não ser necessário passar pelo meio do complexo, eu aconselho a ir por lá, afinal, já que está aqui, por que não conhecê-lo, não é mesmo?

Estátuas dos peregrinos no Monte do Gozo

No Monte do Gozo ficam as famosas estátuas dos peregrinos (o Monumento ao Peregrino), de onde pode-se ver a Catedral de Santiago de Compostela. Fica um pouco fora do Caminho, mas, se tiver tempo e disposição, serão quase 1,2 quilômetro de desvio – já somando a ida e a volta.

Na praça central do Complexo do Monte do Gozo há vários tipos de auto-serviço, como lavanderia.

Para ir até lá, ao chegar na grande praça que tem no centro do complexo (onde tem os serviços e restaurantes) deve virar à esquerda ao invés de continuar reto. Atravesse então a rua e continue reto pela trilha que tem ali. Um pouco para a frente terá uma bifurcação, pegue a trilha da esquerda.

Você chegará numa rua de asfalto e verá uma placa grande. Siga pela rua e vire à direita na placa, onde você vai ver uma pequena estrada de terra. Siga por ela e logo avistará as estátuas.

Os diversos pavilhões do Monte do Gozo. O albergue fica lá em cima, é o primeiro à esquerda.

Na dúvida, peça informações no albergue (e aproveite para pegar mais um carimbo!).

Monte do Gozo à Praça do Obradoiro

Este pequeno trajeto talvez seja um dos mais longos, apesar de curto, do Caminho de Santiago. A distância é pequena, mas parece que nunca acaba, tamanha é a ansiedade. Somado a isso, é trecho urbano, o que faz com que a distância pareça ser muito maior.

Praça central do complexo do Monte do Gozo.

Seguindo reto desde a parte de cima do complexo do Monte do Gozo, vai sempre reto até o fim dele. Verá indicações do trajeto a seguir. Muito cuidado neste trecho pois tem algumas curva em descida onde o asfalto é muito liso. A inclinação deixa mais perigoso ainda, principalmente se o chão estiver úmido.

Seguindo as indicações, você seguirá pela rodovia N-634. Passará sobre a rodovia E-1 por uma ponte para pedestres (km 16,4), ao lado do viaduto. Era preciso tomar cuidado com o piso, pois tinha algumas madeiras quebradas. Mas o viaduto estava sendo refeito.

Entrando em Santiago de Compostela

Pouco depois passará por cima da rodovia SC-20 (km 16,8). Assim que atravessar a rua verá o monumento chamado “Porta Itineris Sancti Iacobi”, uma homenagem aos peregrinos. Neste lugar você está entrando em Santiago de Compostela.

Faltam pouco mais que 3 quilômetros para chegar à praça do Obradoiro, onde fica a Catedral de Santiago de Compostela. Estes 3 quilômetros parecem não ter fim!

Apesar de você estar caminhando ao lado da rodovia N-634, é trecho urbano. Você já está na cidade. Sempre respeite a sinalização e as faixas de pedestres.

No quilômetro 17,9 você verá um pequeno obelisco em uma bifurcação. Fácil de identificar, pois terá um grande shopping center à sua direita (Centro Comercial As Cancelas). Você seguirá pela esquerda, caminhando pela Rúa do Valiño. Depois ela muda de nome para Rúa das Fontiñas (km 18,3) e Rúa da Fonte dos Concheiros, no km 18,6.

Últimos passos antes do Centro Histórico

Ao final desta última rua, que tem pouco mais de metros, você chegará a uma grande rotatória. Respeite o sinal de pedestres, mesmo que seja demorado. Preste muita atenção à sinalização aqui.

Continue seu caminho pela Rúa dos Concheiros, que muda seu nome para Rúa de San Pedro depois de uma curva, no km 19,1. Caminhe sempre pela esquerda, isso facilitará a sua localização.

Chegando ao fim desta rua, no km 19,6, você atravessará uma estreita (porém movimentada) rua e continuará reto. Estará em uma via para pedestres (Rúa das Casas Reais) e já dentro do Centro Histórico.

Seguindo as setas, você logo chegará à Praça de Cervantes, no km 19,8. Vire à direita e siga reto, pela Rúa da Algalia de Arriba. Serão 200 metros de descida constante até chegar à Praça do Obradoiro, passando pela entrada lateral da Catedral de Santiago de Compostela e em frente ao Seminario Mayor Compostelano, que fica na Praza da Inmaculada.

Finalmente, a Praça do Obradoiro!

Você chegará à Praça do Obradoiro, pelo lado esquerdo da Catedral. Chegar a esta praça representa o fim da sua caminhada, o fim do seu Caminho de Santiago.

Finalmente a Catedral de Santiago de Compostela, na praça do Obradoiro.

Ao chegar na praça terá à sua direita Parador de Santiago de Compostela, um luxuoso hotel. À sua frente, terá o Pazo de Raxoi, que é a sede da prefeitura da cidade.

Agora é guardar sua mochila no escritório de recepção aos peregrinos, pegar sua Compostela, conhecer a Catedral, se hospedar, curtir um pouco a cidade e encontrar peregrinos, não necessariamente nesta ordem (exceto guardar a mochila antes de entrar na Catedral, pois não é mais permitido que entre na igreja com ela).

Esta foi a última etapa até Santiago de Compostela. A alegria de chegar se mistura com a tristeza de ter acabado. Todas as dificuldades que teve no Caminho de Santiago (e foram muitas, certamente) acabam esquecidas. Ficam as boas lembranças.

Porém você ainda tem um grande caminho pela frente, o caminho da vida!

Bom Caminho!

Leave A Reply

Your email address will not be published.

doze − dez =