25ª etapa – El Acebo a Ponferrada

Mais uma “mini etapa”, de El Acebo a Ponferrada. Como havia explicado antes, fiz esta divisão de etapas assim para você ter tempo em Ponferrada, podendo conhecer um pouco a cidade e visitar o Castelo dos Templários.

O caminho continua sendo uma grande descida até Molinaseca, um lugar muito simpático, escolhidos por muitos como fim de etapa (ao invés de El Acebo ou Ponferrada).

O trajeto continuará um pouco complicado em determinados pontos por causa do piso. Você precisará ter muito cuidado e ir devagar. Porém a paisagem é bonita e o caminho é muito agradável. Aproveite cada minuto, afinal, neste dia você terá muito tempo!

Foto panorâmica de Ponferrada, tirada do alto do Castelo dos Templários.
Ponferrada vista de cima do Castelo dos Templários.

El Acebo a Riego de Ambrós

A saída de El Acebo não tem segredos, basta seguir as flechas. Você seguirá pelo asfalto a maior parte do tempo. Lembre-se que peregrinos sempre devem caminhar pelo lado esquerdo da rua!

Ao sair do pueblo você andará cerca de 300 metros e estará na entrada do albergue que falei no artigo da etapa anterior, entre Rabanal del Camino e El Acebo. Mas o caminho continua em frente, na estrada em que você estava. É uma estrada bem estreita, sem acostamento, portanto, cuidado!

Foto do pueblo de Riego de Ambrós, mostra que o lugar é uma descida constante. Aparece um peregrino na parte de baixo da rua.
Riego de Ambrós, uma descida constante.

Chegando no km 2,15 você sairá dos asfalto e andará por uma trilha até chegar no pueblo chamado Riego de Ambrós (km 3,2). Neste local você encontrará albergues. Porém não conte com bares, principalmente se for bem cedo. Você encontrará uma fonte para se abastecer de água, o que recomendo muito!

A minha corrida atrás da água

Eu não poderia deixar de contar um pequeno acontecimento. Eu vinha de Rabanal del Camino, estava já bem cansado. Resolvi trocar a água da minha única garrafa por água fresca na fonte.

Anúncio

Coloquei-a em cima de uma mureta ao lado da igreja e, ao virar-me, bati nela com a mochila e a derrubei no chão. Detalhe: assim como El Acebo, este vilarejo é uma descida constante.

Lá foi o peregrino (eu) correndo desesperado, com a mochila nas costas, atrás do único suprimento de água que tinha. Para completar a cena, eu tentava segurá-la com o bastão de caminhada, o que obviamente não dava certo. Então comecei a tentar bater nela para ver se ela mudava de direção e parava de rolar.

Enfim, depois de uns 200 metros consegui fazer com que ela batesse em um obstáculo. Ufa! Meu estoque de água estava salvo! Não cheguei a observar, mas espero que ninguém tenha filmado este espetáculo!

Riego de Ambrós a Molinaseca

Ao contrário da saída de El Acebo, a saída de Riego de Ambrós é um pouco difícil. Você anda por umas pedras que ficam lisas quando molhadas. Se tiver chovido, barro e poças de água também serão um problema.

Em alguns trechos você vai andar sobre estas pedras, sendo que em algumas partes é uma descida. Muito cuidado e vá devagar!

A foto mostra grandes pedras por onde o peregrino terá que passar, no caminho para Molinaseca.
Descida com muitas pedras, um perigo. Precisa tomar muito cuidado neste trecho.

Acredito que estas partes de pedra serão as mais cansativas do dia. Em contrapartida, a paisagem convidará você a parar um pouco para contemplá-la. A etapa é bem curta, aproveite-a!

Anúncio

No km 4,8, cerca de 1,6 quilômetro depois de Riego de Ambrós, você andará aproximadamente 200 metros pela rodovia. Você irá cruzá-la, pois o caminho segue do outro lado. A partir deste ponto a descida será mais íngreme ainda, mas faltam pouco mais de 3 quilômetros para chegar a Molinaseca.

No km 7,55 você cruzará o asfalto mais uma vez. Andará pelo lado esquerdo da rodovia, mas numa calçada. Estará chegando em Molinaseca, uma pequena e bela localidade que fica no km 8.

Foto da Ermita de Nossa Senhora das Angústias, bem na entrada da cidade de Molinaseca.
Ermita de Nuestra Señora de las Angustias, na chegada de Molinaseca.

Desde El Acebo você terá descido aproximadamente 563 metros, algo considerável para se fazer em 8 quilômetros. Por isso o trecho é um pouco cansativo.

Aproveite para descansar e comer algo em Molinaseca. Se precisar, neste lugar você encontrará alguns serviços, incluindo farmácia. Albergues e pousadas também não faltam, assim como bares e restaurantes.

Rua de Molinaseca, por onde o peregrino vai passar.
Esta é a rua por onde o peregrino passa em Molinaseca.

Molinaseca a Ponferrada

Este trecho vou descrever pelo trajeto mais seguido pelos peregrinos. Há uma pequena variante, que aumenta o trajeto em cerca de 1 km, que passa por um pequeno vilarejo onde tem uma fonte romana. A vantagem é que evita a calçada ao lado da estrada, mas, sinceramente, não sei se vale a pena.

Agora você andará só pelo asfalto. Ou melhor, por uma calçada do lado direito do asfalto. Será uma descida quase imperceptível até o km 9.5. Mas aí começa uma subida, um desnível de 50 metros em 1,2 quilômetro.

Pouco depois da subida você passará ao lado da Urbanização Patrícia. Uma espécie de bairro de Ponferrada. Ainda faltam 3,2 quilômetros para chegar ao albergue.

Ponferrada

Mais um tempo ao lado da rodovia e começará o trecho urbano de Ponferrada. Siga as flechas e chegará ao Albergue de Peregrinos San Nicolás de Flüe, que é bem grande e tem boa estrutura, incluindo uma cozinha enorme.

Castelo dos Templários, em Ponferrada, no Caminho de Santiago de Compostela.
O Castelo dos Templários vale a pena uma visita.

O Castelo dos Templários estará a uns 600 metros do albergue. Já a parte alta da cidade, onde tem mercados e a parte antiga, fica a uns 400 metros (depois de uma subida!). Mas vale a pena conhecer tudo isso.

Aproveite bem o tempo em Ponferrada, no dia seguinte começará uma série de etapas “normais”, ou seja, com distâncias um pouco maiores. Além disso, você irá até Villafranca del Bierzo, uma etapa mais longa e não tão fácil.

Print Friendly, PDF & Email
Anúncio

Leave a Reply

20 − onze =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Gostou deste artigo?
Mantenha-se atualizado!

Inscreva-se em nossa lista para receber novos artigos e novidades exclusivas para você!

Obrigado por inscrever-se!

Xiii... algo deu errado!