33ª Etapa – Arzúa a O Pedrouzo

2 62

Estamos na penúltima etapa do Caminho Francês, quase chegando em Santiago de Compostela. Como você vai ver escrito em vários lugares: ânimo!

Neste dia serão apenas 19 quilômetros, pouco o suficiente para você dar uma boa descansada do dia anterior. Aliás, se você resolveu ficar em Ribadiso de Abaixo, serão 22 quilômetros. Mesmo assim, pouca distância.

Bem, vamos no estilo good news/bad news: a má notícia é que terá muito sobe e desce nesse trecho. A boa é que os últimos 5 quilômetros serão praticamente só descidas e boa parte em um bosque de eucaliptos.

Este é mais um dia de aproveitar cada minuto, curtir o Caminho de Santiago ao máximo. Segure a ansiedade e aproveite o “passeio”. Você tem muito tempo!

Neste artigo você vai encontrar:

Arzúa a Salceda

Na saída de Arzúa, já de cara você vai pegar uma descida bem forte por 700 metros – um desnível de 52 metros. Logo em seguida serão 350 metros de subida (desnível de 24 metros) e outra descida. Nessa última você descerá mais 52 metros, em apenas 670 metros de distância.

O piso depois de Arzúa é bem agradável para os pés cansados dos peregrinos.

Neste ponto você já terá percorrido aproximadamente 1700 metros. Até aí será bem tranquilo, caminhando sempre em uma estreita estrada de terra, bem agradável aos pés.

Publicidade

Em seguida você vai recuperar a altitude, chegando novamente aos 388 metros de Arzúa. Isse ocorrerá nos próximos 1,56 km.

Pregontoño a A Calzada

Logo após a primeira subida você encontrará uma leve descida, alguns metros, e então você chegará a Pregontoño. Este é um lugar bem pequeno, que só serviria como referência se não fosse por uma pequena capela que tem ali, o santuário de San Pelaio.

O caminho é bem agradável depois de Arzúa, mas se chover pode ter um pouco de barro.

Continuando, no km 2,4 você passará por baixo da rodovia N-547. No km 3,3 finalmente a subida dará uma trégua, mas por apenas 350 metros. Porém será uma descida na qual você deve ter bastante cuidado!

Mais subida pela frente: uma elevação de 47 metros em 900 metros de distância. Pouco depois você vai passar por As Quintas (um vilarejo no km 5). Mais um pouco e passará por uma ponte em cima da rodovia A-54, que estava em construção (não sei se concluíram ainda), chegando em seguida a A Calzada, no km 5,8 (depois de uma pequena subida).

Em A Calzada há um bar onde você pode fazer uma parada, se desejar. Apesar de ainda ser cedo para isso, é uma opção, principalmente dependendo das condições climáticas.

A Calzada a Salceda

A “Casa Tia Dolores” é uma opção de parada em Outeiro.

Na saída de A Calzada tem outro bar, do lado esquerdo (a Casa Calzada). Já entrei para me esconder um pouco da chuva e gostei muito do atendimento. Fica a dica, caso queira dar uma pausa!

Pouco depois de sair desse pueblo, aproximadamente no km 6,5, começará outra descida. Quase no fim dela você estará em Outeiro, no km 7,6. Este é mais um lugar que tem bares, caso queira dar uma paradinha.

Saindo de Outeiro, começa outra subida. Não falei que tem muito sobe e desce neste trecho? Será uma elevação de 47 metros em 1 quilômetro de distância.

Pouco depois do fim da subida, no km 9,15, há um restaurante chamado Boa Vista. Outro lugar para um lanche e um descanso, quase na metade da etapa. Porém, eu aconselho a continuar um pouco mais para a frente ainda.

Saindo de Outeiro tem esta pequena ponte de concreto.

É importante falar que todo o trecho é bastante arborizado e com piso bom para caminhar.

Publicidade

Do restaurante até Salceda (km 11,4) serão 2,15 km, um pulo. Salceda é um também é bom lugar para parar. Pouco depois da metade da etapa, tem alguns restaurantes bons.

Neste lugar ficava a Casa Verde, porém, infelizmente mudou de proprietários e não sei mais se ainda está funcionando. Era um lugar muito legal para parar, com proprietárias que eram muito gente boa!

Em 2009 peguei muita chuva forte. Esta foto foi tirada perto de Salceda.

Salceda a O Pedrouzo

Depois de Salceda, você continuará num sobe e desce (com mais sobe do que desce). No km 11,9 passará em frente a uma loja de tratores e, em seguida, atravessará a rodovia N-547, que é bem movimentada. Cuidado!

Também peguei tempo bom. Foto tirada nas imediações de Salceda, em 2014.

A Brea a O Empalme

Depois que atravessar a rodovia, caminhará por uma calçada de pedra, feita para os peregrinos. Nesta parte não há proteção de árvores e o piso não é dos mais agradáveis. Mas não será assim por muito tempo.

No km 13,1 cruzará a mesma rodovia mais uma vez, chegando em A Brea no km 13,5. Neste pequeno pueblo você encontrará outro lugar para comer. Se quiser ir até lá precisará seguir as indicações do estabelecimento, pois ele fica um pouco fora do Caminho (algo como 100 metros).

No km 13,9 você vai virar à esquerda em uma estrada de asfalto (tudo bem sinalizado), e, em seguida, encontrará a N-547 novamente. A diferença é que agora você vira à direita e segue ao lado da rodovia, em uma trilha feita para os peregrinos.

No km 14,4 você atravessará para o outro lado da rodovia (muito cuidado!), mas continua caminhando ao lado dela. Tudo isso será uma subida, mas leve.

Calçada para os peregrinos pouco antes de O Empalme. A intenção pode ser boa, mas a calçada dura não é o melhor piso para caminhar.

A dificuldade aqui pode ser o sol, pois não há árvores até chegar em O Empalme, no km 15,1. Neste lugar há alguns bares onde pode comer e descansar, se quiser.

Publicidade

Importante saber que faltam pouco menos de 4 quilômetros para o destino do dia: O Pedrouzo. Então, se tiver com tempo, pode parar e descansar tranquilamente, pois o próximo trecho é bem fácil.

O Empalme a O Pedrouzo

Em O Empalme você cruzará a rodovia outra vez. Não, não será a última ainda!

Cerca de 200 metros depois, no ponto mais alto da etapa (411 metros de altitude), começará o maior trecho de descida do dia, aproximadamente 3 quilômetros! A diferença de altitude será de 156 metros, mas, pela distância, a descida é muito tranquila.

Fonte pouco antes do albergue de peregrinos de Santa Irene.

No km 15,9 você cruza de novo para o outro lado da rodovia, desta vez por um túnel debaixo dela, chegando em Santa Irene. É um pequeno pueblo, onde tem a ermita de Santa Irene e uma fonte barroca, cuja água tem poderes de cura, segundo dizem.

Logo em seguida você passará para o outro lado da rodovia (km16,2), onde vai ter um bar. No km 16,5 vai passar pelo albergue de peregrinos de Santa Irene. Pouco antes do albergue, praticamente do lado, há uma fonte de água. Aproveite!

Depois do albergue você caminhará alguns metros ao lado da rodovia, se afastando dela no km 16,8. Neste ponto começará a caminhar por um bosque de eucaliptos. É bem agradável caminhar nesta parte, chova ou faça sol!

Albergue de peregrinos de Santa Irene.

Este bosque transforma a caminhada em um passeio muito gostoso, os quilômetros finais da etapa ficam bem mais agradáveis!

Publicidade

No km 17,1 você encontrará a N-547 novamente, cruzando para o outro lado por mais um túnel. Logo em seguida mais um trecho pelo bosque e logo estará em A Rúa, no km 17,8.

Neste lugar vai encontrar um centro de informações, albergue e restaurantes. Mas atenção: você está muito perto de O Pedrouzo!

Chegando em O Pedrouzo, atenção!

Continuando em frente chegará mais uma vez na rodovia N-547, no km 18,5. Este ponto marca também o fim da descida, mas você estará praticamente em O Pedrouzo.

Aqui você precisa prestar bastante atenção. Se quiser entrar em O Pedrouzo, você deve virar à esquerda, seguindo a rodovia. Se a intenção for continuar em frente sem passar pela cidade, cruze a rodovia e siga reto, indo pelo bosque de eucaliptos.

O bosque de eucalíptos, perto de O Pedrouzo é um alento para quem estava caminhando no sol ou na chuva forte!

O Albergue Público de Peregrinos de O Pino estará a poucos metros, no km 19. Não há necessidade de atravessar a rodovia para chegar nele.

Pedrouzo

Aqui tem uma pegadinha com o nome do lugar, fique atento! Muitos guias se referem a esta cidade como Arca ou O Pino. Estão corretos, porém o que causa a confusão é que o município se chama O Pino, cuja “capital” seria O Pedrouzo. Arca é o nome da paróquia onde está Pedrouzo.

Porém, há um lugar chamado de O Pino, que também faz parte do município, e fica a uns 5 quilômetros de distância. Aí está a principal confusão!

Publicidade

Já vi gente perguntando se chegou a O Pino e alguém da cidade dizer simplesmente que não (corretamente, pois ali é O Pedrouzo).

Pelo que eu tinha entendido, a pessoa queria saber se chegou a O Pedrouzo mesmo, porém o guia citava o nome do município, não da localidade. Resumindo, use o nome O Pedrouzo, é mais seguro!

A rodovia é a principal rua de O Pedrouzo.

Neste lugar você vai encontrar diversos albergues e restaurantes. A distância até Santiago de Compostela é de 20 quilômetros aproximadamente (contando do albergue, não da saída).

Muita gente prefere continuar reto indo até o Monte do Gozo, cerca de 15 quilômetros mais para a frente. Foi o que fiz no meu primeiro e segundo Caminho de Santiago, porém é bastante cansativo.

Você também pode passar um pouco de O Pedrouzo, deixando menos distância para o próximo dia. O importante é que agora faltam pouquíssimos quilômetros para chegar a Santiago de Compostela.

Descanse para aproveitar bem seu último dia de caminhada!

2 Comments
  1. Carlos Alberto da Silva says

    Claudio; Para variar, bem escrito, bem detalhado e com muitas DICAS e OPCOES para o peregrino escolher o melhor para sua caminhada. Agora esta faltando somente a ULTIMA ETAPA. Parabens pelo conteudo.

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá Carlos!

      Que bom que está gostando. Espero receber ajuda dos peregrinos para complementar com mais informações, afinal, a ideia é ajudar o máximo de pessoas que puder. 🙂

      Logo sai a última etapa. Estou trabalhando nisso. Depois começarei a revisar as primeiras… é um trabalho que não acaba. É como repintar as flechas amarelas do Caminho! rs

      Obrigado por acompanhar o blog!

      Um abraço e bom Caminho!

Leave A Reply

Your email address will not be published.

dezesseis + 13 =