32ª Etapa – Palas de Rei a Arzúa

2 66

A etapa entre Palas de Rei e Arzua é inesquecível. Uma das últimas, porém longa etapa. Aconselho a sair bem cedo para aproveitar melhor as primeiras horas do dia, que é melhor para caminhar.

Com a longa distância, qualquer subidinha começa a parecer duas vezes maior do que realmente é. E nessa etapa, há muitas subidas e descidas. A parte boa: no fim do dia você estará muito próximo a Santiago de Compostela!

Neste trecho você vai passar por Melide, a cidade do pulpo (polvo). Há várias pulperias lá. Recomendo que pare em uma delas para degustar este prato típico da Galiza.

Usarei o albergue ao lado da igreja como referência para as distâncias. Este é o albergue que citei na descrição da etapa anterior (Portomarín a Palas de Rei).

Palas de Rei a Casanova

Ao chegar no km 0,6 você encontrará uma bifurcação. Apesar de ter vários desenhos de flechas amarelas no chão e paredes, nesse lugar tem as estátuas de um casal de peregrinos. Observe que eles apontam a direção que você deve seguir!

As estátuas indicam por onde você deve seguir…

Será uma descida até o km 1,3, onde você verá um bar/restaurante/hostal chamado Ponterroxan. Logo em seguida começa uma subida de quase 700 metros até O Carballal, uma pequena localidade. Na verdade um lugar com apenas duas ou três casas.

Publicidade

Depois disso o terreno será predominantemente descida por 2,5 quilômetros. No km 2,2 você atravessará a rodovia (preste muita atenção). No km 3,5 você chegará a um pueblo chamado San Xulián do Camiño.

No km 4,55 você cruzará o pequeno rio Pambre e logo em seguida passará pelo albergue Casa Domingo. Prepare-se, depois desse lugar vem 1,6 quilômetro de boa subida. Antes da última e mais pesada parte da subida, você chegará em Casanova, no km 5,8.

Casanova a O Leboreiro

Depois de Casanova, um pouco mais de 300 metros de subida e começa uma descida. Um quilômetro para a frente e volta a subir. Isso é uma constante nesse dia, como pode ter percebido.

Você continua em um ambiente bem arborizado, o que ajuda muito. O piso na maior parte do tempo é asfalto – não tão bom como trilhas, mas melhor que concreto.

Em 2009 peguei muita chuva nesta etapa. Na foto é possível ver como alguns trechos estavam.

No km 7,95 você passará por um café/bar em A Campanilla. Um pouco mais para a frente, cerca de 600 metros, você chegará em O Coto (km 8,6). Outro lugar com alguns bares e restaurantes. São duas boas opções para parar e tomar um café, pois é quase meio caminho até Melide.

Depois de O Coto você andará mais uns 600 metros – uma descida – até O Leboreiro (km 9,2). A partir deste ponto o relevo dá uma aliviada e o sobe e desce será mais ameno.

Nesse lugar você vai encontrar o Cabazo do Leboreiro. Um antigo cesto sobre um grande apoio de pedra que era usado para preservar o milho. É uma espécie de Hórreo primitivo. Em frente ao cabazo você verá a Igreja de Santa Maria, construída em estilo românico de transição, com abside circular e nave única.

O Cabazo do Leboreiro na frente da Igreja de Santa Maria.

Na saída de O Leboreiro, a uns 150 metros depois da última casa, você vai passar por uma ponte medieval sobre o rio Seco.

O Leboreiro a Melide

Logo depois do rio Seco você passará por um lugarejo chamado Desecabo. Depois terá uma subida até você cruzar uma pequena estrada que acaba na rodovia N-547.

A pequena ponte medieval sobre o rio Seco fica pouco depois de Leboreiro.

Pouco depois, no km 11,35, você estará na entrada do Parque Empresarial de Melide. Aí você encontrará uma fonte de água e, poucos metros depois, outra fonte. Trocar a água por outra fresca é sempre bom!

Publicidade

Seguirá margeando a N-547 por uns 450 metros e depois você segue pela esquerda, afastando-se da carretera. Nesse ponto você começa a entrar em um parque, uma área bem arborizada.

No km 12,7 começará uma descida muito íngreme até San Xoán de Furelos (km 13,2), pueblo que fica logo ao lado de Melide. Então você passará pela capela de San Roque e por um cruzeiro, do século XIV.

Saindo de Furelos você vai encontrar uma subida. Serão 50 metros de elvação em 1.250 metros de extensão até chegar na avenida Lugo, uma das principais de Melide (km 14,4).

Melide

Em Melide você encontrará várias pulperias, casas especializadas em polvo, o prato típico da região.

Já na entrada da cidade você encontrará uma, onde é comum servirem um pedacinho de polvo para atrair os clientes.

Pouco mais de 100 metros depois de você entrar na Av. Lugo tem a pulperia Ezequiel (do lado esquerdo), uma das maiores e mais conhecidas do lugar.

Publicidade

Nessa cidade você encontrará todo tipo de serviço: hotéis, pensões, restaurantes, mercados e o que mais precisar. Muita gente prefere dividir as etapas de forma diferente, pernoitando aqui. Já fiz isso, uma ótima opção!

Aliás, se tiver tempo tempo disponível, aconselho a fazer isso mesmo, pois estará ainda na metade da etapa até Arzúa.

Melide a Boente

Em Melide preste muita atenção à sinalização, pois algumas vezes ela fica um pouco escondida. Você vai sair da cidade pela Rúa Principal. Aqui se chama assim e não Calle Mayor.

Ao chegar no fim da Rúa Principal (onde acaba o “calçadão”), você vai seguir em frente em uma grande descida. Atravessará a rodovia N-547 no km 15,3, com muito cuidado, obviamente.

Logo em seguida, no km 15,5, você vai virar à direita em um pequeno calçadão. Ali você encontrará o marco dos 50km faltantes para Santiago de Compostela.

Um pouco para frente você passará pela igreja de Santa Maria de Melide. No km 17 você andará por cerca de 150 metros ao lado da rodovia N-547, mas logo voltará para uma pequena estrada.

O trecho é bastante arborizado, o que ajuda muito em dias de sol.

El Pequeño Oasis

No km 18,6 você chegará a um lugar chamado de El Pequeño Oasis. Vale a pena um tópico para falar dele. Ele fica em um lugar chamado Parabispo, poucos metros depois de uma taberna (Taberna de Parabispo) que fica do lado direito.

Publicidade

Não é nada grandioso, apenas uma barraquinha de madeira com muitas frutas e água muito fresca. A água é constantemente trocada.

Você pode chegar e pegar o que quiser, bastando para isso fazer um depósito em uma caixinha. A água é de graça, mas uma contribuição é sempre bem vinda. Afinal, quem cuida desse lugar o faz com muito cuidado e carinho.

Uma barraquinha com tudo que o peregrino precisa é realmente um pequeno oásis, principalmente para quem vem de Palas de Rei!

O interessante é que não fica ninguém cuidando do lugar. É tudo na base da confiança. Uma forma de ajudar os peregrinos que, ao chegar ali, já estão bem cansados.

Você pode também carimbar a sua credencial, pois tem um carimbo ali, à sua disposição.

Continuando até Boente

Pouco mais de 1 quilômetro depois do Pequeno Oasis, o terreno será predominantemente descida por 2,6 quilômetros. Você passará por um albergue/bar chamado El Alemán e, nem 100 metros depois, por A Peroxa (km 20). Uma pequena aldeia quase em Boente já.

Horreo em frente ao albergue e bar El Alemán.

No km 20,3 você estará em Boente, um pequeno pueblo às margens da rodovia N-547. Não deixe de visitar a igreja de Santiago de Boente e pegar seu o carimbo ali. O trajeto continua virando à direita na frente da igreja.

Uma paradinha em Boente

Em Boente tem um bar/albergue logo na chegada, do outro lado da rua e mais um outro bar/albergue alguns metros para a frente. Se não mudou de dono, o segundo bar tem um pequeno museu de câmeras fotográficas.

A igreja de Santa Maria de Boente vale uma paradinha. Normalmente a porta principal não está aberta, use a porta de trás.

Na frente do segundo albergue, do mesmo lado que fica a igreja, tem um bar com uma coleção gigante de bonés pendurados no teto. Vale a pena conferir também. Aliás, recomendo uma parada para descansar em Boente!

https://www.facebook.com/watch/?v=847256972008489

Boente a Ribadiso de Abaixo

A descida continua até o km 21,3, onde começa um bom trecho de subida. Serão 1,3 quilômetro de aclive até Castañeda (km 22,5). Ao sair da principal rua do pueblo, à esquerda, começa uma descida de 700 metros para dar alguns momentos de descanso para as pernas.

Publicidade

Em seguida, outra subida íngreme de pouco mais de 800 metros. A partir desse ponto, 1,5 quilômetro de descida, apenas com alguns repiques, mas poderá caminhar mais levemente.

No fim da descida estará em Ribadiso de Abaixo (km 25,6), um lugar muito pequeno onde tem praticamente só bares e albergues.

Chegando em Ribadiso de Abaixo passamos por uma ponte sobre o rio Iso. O lugarejo não é muito mais do que se vê na foto. Quer tranquilidade? Pense neste lugar…

Se o dia estiver bonito, recomendo que durma aqui e aproveite para banhar-se no rio Iso, de águas cristalinas. Um verdadeiro paraíso para o peregrino que já andou o dia todo!

Ribadiso de Abaixo a Arzúa

Finalmente, o último trecho do dia. Último e puxado, apesar de curto! A partir de Ribadiso de Abaixo, será uma subida quase constante até chegar ao centro de Arzúa.

Primeiro, 460 metros de subida, com um ganho de elevação de 38 metros, até você chegar à rodovia N-547 novamente.

Ao chegar nesse ponto, nada de inventar moda e se arriscar bem no fim do seu Caminho. Você precisa seguir as indicações e dar a volta de 350 metros para passar por baixo da rodovia. Não se arrisque!

Em apenas 1,5 quilômetro estará entrando em Arzúa. Verá alguns albergues e restaurantes, mas ainda não está na cidade. Ao menos não no centro. Você precisa caminhar mais 700 metros para chegar no destino do dia. Para quem andou até aqui, um pulinho!

Arzúa

Arzúa é uma cidade com muitos serviços. Próximo à praça principal você encontrará uma lavanderia que lava e seca roupa para os peregrinos a um preço razoável. Só fique de olho no relógio, pois há um horário limite para levar e para buscar suas roupas!

Publicidade

Albergues e pensões não faltam aqui, mas talvez seja interessante reservar o seu lugar, dependendo da época do ano.

Esta etapa foi bem cansativa, longa e cheia de altos e baixos. O próximo dia será mais curto, relaxe um pouco.

Aliás, na próxima etapa poderá andar um pouco mais, entenderá as possibilidades e decidir o que é melhor para você.

Descanse e curta bastante. Lembre-se que está a poucos quilômetros de Santiago de Compostela!

2 Comments
  1. Carlos Alberto da Silva says

    Grato pela liberacao de mais essa ETAPA. Li, reli, ja atualizei no meu planejamento. Conteudo excelente, bem detalhado e valioso. Agora pelo meus calculos, FALTAM DUAS ETAPAS para nossa chegada a SANTIAGO DE COMPOSTELA: (33.) De Arzua a O Pedrouzo e (34.) De O Pedouzo a Santiago de Compostela. Estou no aguardo das mesmas.

    No meu planejamento, farei o caminho entre SJPP e SANTIAGO em 33 dias. Tendo 4 dias mais para deslocamentos do Brasil ate Franca e da Espanha para Brasil.

    Abracos e muito obrigado pelas dicas.

    1. Claudio Bittencourt Pacheco says

      Olá!

      Eu que agradeço, por acompanhar o blog! Fico feliz em saber que estou conseguindo ajudar os peregrinos!

      A divisão de etapas de qualquer guia é uma sugestão apenas. Você deve fazer o seu Caminho de Santiago de acordo com suas condições e vontades. A próxima etapa que vou publicar será sim de Arzúa a O Pedrouzo, está quase pronta. Mas… opcionalmente, se as pernas permitirem, pode-se ir até o Monte do Gozo, deixando apenas 5 km para o último dia. Vou explicar isso no último artigo sobre as etapas do Caminho Francês.

      Um abraço!

Leave A Reply

Your email address will not be published.

cinco + 12 =