16ª Etapa – Frómista a Carrión de los Condes7 min read

A etapa entre Frómista e Carrión de los Condes poderia ser considerada uma etapa de descanso. A maior dificuldade que você pode encontrar é o sol (ou chuva, claro!). Apesar da altitude variar de 780 a 848 metros, é uma subida lenta, quase não é sentida até Villalcázar de Sirga. Mesmo assim, são poucos quilômetros com uma inclinação maior, mas nada que te fará cansar muito, ainda mais porque a etapa tem praticamente 19 quilômetros no total. Este é o principal motivo de muitos preferirem ficar em Boadilla del Camino ao invés de Frómista.

A maioria dos peregrinos fica em Carrión de los Condes, por uma questão estratégica. De lá serão pouco mais de 17 quilômetros até o próximo pueblo. Mas nada impede de você ficar em Villalcázar de Sirga, por exemplo, não serão tão pesado estes últimos quilômetros somados aos 17 quilômetros do outro dia.

Frómista a Revenga de Campos

Escultura de um peregrino em chapa de ferro ao lado da estrada entre Fromista e Carrion de los Conde

Na saída de Frómista o peregrino passará ao lado desta escultura feita em uma chapa de ferro.

A saída de Frómista não tem segredos. Basta seguir as flechas amarelas, como sempre. Você seguirá caminhando por calçadas da cidade por uns 800 metros. Nos próximos 400 metros contornará duas rotatórias e entre elas passará por um viaduto sobre a rodovia A-67. A partir do km 1,2 seguirá por um caminho de terra ao lado da rodovia P-980 que, aliás, vai até Carrión de los Condes. O caminho, aliás, será praticamente todo ao lado desta rodovia.

O primeiro pueblo que você vai entrar será Población de Campos, no quilômetro 3,5. Neste lugar há bares, caso ainda não tenha tomado seu café da manhã ou caso queira tomar um segundo café. Para quem vem de Boadilla del Camino pode ser uma boa opção para descansar.

Na saída deste pueblo, no km 3,8, você tem a opção de seguir por um caminho alternativo que não vai ao lado da rodovia. Nunca fui por ali, mas segundo me disseram este era o caminho original. Por lá há alguma sombra, diferente do oficial. No alternativo você passa somente por Villovieco, um pequeno pueblo.

Logo em seguida, se continuar pelo caminho oficial, vai passar por uma ponte estreita por onde passam carros também. Muito cuidado nestes poucos metros. Em seguida você volta ao caminho ao lado da rodovia, seguindo até Revenga de Campos, no km 7,1. Neste lugar tem uma praça onde você pode parar e descansar um pouco. Não há muita coisa neste lugar além da praça.

 

Revenga de Campos a Villalcázar de Sirga

Saindo de Revenga de Campos você continua ao lado da rodovia, como sempre nesta etapa, até chegar à Villarmentero de Campos. Antes de chegar a este pueblo, você passará pelo terreno do Pépe, no km 8. Você o identificará por ter um pequeno banco na frente.

Você deve estar se perguntando quem é o Pépe. Vou contar como o conheci e a história dele. Em 2012 eu estava fazendo o trecho entre Frómista e Carrión de los Condes sozinho. Eu saí bem tarde, acordei pouco antes das 8 horas, saí com o pessoal limpando o albergue. Foram gentis comigo, pois eu estava resfriado, com a garganta inflamada e febre. Saí do albergue municipal e fui até um bar tomar meu café da manhã. Foi um café bem demorado, enquanto eu decidia o que fazer.

Pepe e eu com uma escultura em homenagem aos peregrinos.

Este é o Pepe e esta é uma de suas esculturas em homenagem aos peregrinos. Eu deveria ter acreditado na senhora que disse que não sabia tirar fotografia… rs

Depois de resolver seguir em frente, fui até a farmácia, que ainda estava fechada. Preferi não esperar e comecei a caminhada, já eram quase 9 horas. Fui andando com muita dificuldade e o sol só piorava. Fui fazendo pausas cada vez mais frequentes. A cada entrada de terreno eu fazia uma parada de poucos minutos e seguia quase me arrastando até a próxima entrada.

O Terreno do Pépe

Eu estava passando pelo terreno do Pépe e ele me chamou, me fez parar oferecendo seu carimbo. Começou a contar a sua história. Ele teve câncer e conseguiu vencer a batalha. Só precisava fazer exames a cada ano para ver se não tinha voltado, mas já fazia alguns anos sem nenhum sinal do tumor. Por este motivo ele resolveu comprar o terreno para dar apoio aos peregrinos, como forma de agradecer a Deus, segundo disse. Ele plantou ali castanheiras e colocou um banco na frente do terreno para os peregrinos.

Escultura representando um peregrino, feita em um toco de árvore. Autor: Pepe

Uma das esculturas em toco de árvore feitas pelo Pepe, proprietário do terreno.

Assim que ele acabou de me contar a sua história, passou uma alemã e ele também a fez parar. Ofereceu algumas balas e castanhas. Pediu para eu ser intérprete, pois ela falava inglês mas não espanhol. Começou a puxá-la pela mão para dentro do terreno e ela, aterrorizada. Expliquei que ela podia ficar tranquila, que eu iria junto e que ele só queria mostrar o que fez para os peregrinos. Mostrou suas esculturas em tocos de árvores que morreram, que fez em homenagem aos peregrinos. Falou que chega mais tarde pois só quer dar suporte aos verdadeiros peregrinos, aqueles que estão desfrutando o Caminho. Contou da via alternativa e falou que aquele era o original e que lá tem mais sombra. Depois disso, nos “liberou” para seguir em frente.

Confesso que inicialmente não foi fácil dar atenção ao Pépe, mas confesso que sua história serviu para me motivar a chegar em Carrión de los Condes, mesmo me sentindo tão mal.

Anúncio
Anúncio

Depois do Terreno do Pépe

Depois do terreno do Pépe será mais 1,1 quilômetro até Villarmentero de Campos. Um pueblo bem pequeno, serão poucos metros para cruzá-lo.  Há um bar/albergue neste lugar, mas eu não sou muito fã. Para mim, parar ali só se estiver precisando muito ir ao banheiro… A próxima parada só 4,2 quilômetros, em Villalcázar de Sirga.

Igreja de Santa Maria la Blanca em Villalcazar de Sirga

Esta é a Igreja de Santa Maria la Blanca, em Villalcazar de Sirga.

Ao sair desta localidade terá um lugar de descanso para os peregrinos com uma fonte e sombra. Pode aproveitar para descansar um pouco e trocar as meias por outras secas.

Villalcázar de Sirga a Carrión de los Condes

Os próximos 3 quilômetros serão uma subida. Mas não se assuste, a diferença de altitude é de pouco menos que 50 metros. Em seguida serão 1,7 quilômetros de descida leve. Como em quase toda a etapa, seguindo ao lado da rodovia numa reta sem fim.

Finalmente você cruzará a rodovia e entrará na pequena e tranquila cidade. Serão 700 metros da estrada até o “cetro”. Em Carríón de los Condes você encontrará mercados, bares, restaurantes, albergues (claro!), hostals, enfim, quase tudo p que pode precisar.

Quarto com camas ao invés de beliches no albergue Espiritu Santu - Carrión de los Condes

Este é um dos quartos do albergue Espiritu Santu em Carrión de los Condes.

Um albergue que gosto muito nesta cidade é o Espiritu Santo, cuidado pelas freiras. É um pouco mais distante da praça central, poca coisa, mas é bem cuidado e, diferente da maioria, o peregrino dorme em camas! Nada de beliche por uma noite! Um ótimo lugar para o peregrino descansar. Para não deixar espaço para interpretações erradas, este é o único albergue que conheço neste lugar, apesar de existirem outros. Ou seja, não posso opinar sobre os outros e sei que há outros bons. Vale a pena pesquisar, até porquê o albergue Espíritu Santu pode estar lotado quando você chegar. s

Aproveite esta agradável cidade, mas não deixe de descansar. Prepare-se para a próxima etapa, pode ser um longo dia. Falarei sobre isso no artigo sobre a próxima etapa!

Gostou? Compartilhe! E não deixe de comentar, seu feedback é muito importante!

Buen Camino!

 

Print Friendly, PDF & Email
Gostou do artigo? Compartilhe!

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.